Inspirações para os “marketeiros” de plantão

O que é Design?
agosto 16, 2019
Setembro Amarelo: uma campanha necessária
setembro 24, 2019
Exibir tudo

Inspirações para os “marketeiros” de plantão

Na sua adolescência, você dificilmente imaginaria que o cinema seria uma excelente fonte de aprendizado, não é mesmo?! Bom, mas aí estão os filmes que abordam o marketing para te provar o contrário!

Eles inspiram pela fala de seus personagens, enredos engajadores, fotografias criativas, ou simplesmente, por abordarem de alguma forma o mundo do marketing, mídias sociais e tudo mais que pode ser colocado na bagagem digital.

Venhamos e convenhamos, todo profissional de comunicação que se preze precisa aprimorar seus conhecimentos para expandir seu potencial criativo e de elaboração de estratégias, né?! Pensando nisso, montamos uma lista de filmes de respeito, que não necessariamente abordam o marketing como tema principal, mas que trazem insights valiosos.

Será que você assistiu a algum deles? Está precisando de inspiração?

Então, confira nossas sugestões:

O Homem Que Mudou o Jogo

Brad Pitt interpreta Billy Beane, um técnico de beisebol do time Oakland Athetics que não tinha nenhum atleta de alta performance — e uma verba restrita para fazer tudo acontecer.

Corte de verbas? Orçamento limitado? Isso lembra alguma coisa do mundo do marketing? Mas não para por aí! Billy Beane decide investir em dados, estatísticas, e tudo mais que pudesse ajudá-lo a otimizar seus recursos para contratação, e, posteriormente, na performance em campo.

É um filme incrível, com um desfecho superenriquecedor e baseado na história real de Billy Beane. Ótima opção, e não somente por ter muitas horas de Brad Pitt em tela.

O Lobo de Wall Street

Jordan Belfort, interpretado brilhantemente por Leonardo DiCaprio é um jovem e ambicioso corretor da bolsa que, assim que alcança seu posto no mercado de trabalho, se vê no meio da crise econômica americana.

O que era um projeto profissional tradicional, feito para ser galgado ao longo dos anos, mudou completamente da noite para o dia e Jordan decidiu se reinventar. Começou buscando outros mercados, desenvolvendo novas estratégias de vendas, abordagens para negociações personalizadas e, aos poucos, foi dominando o mercado.

É interessante ver suas habilidades para personalizar linguagens e discursos ao lidar com diferentes tipos de clientes investidores, já que começa ofertando para pessoas simples, e, tão logo, está gerenciando grandes fortunas.

Mas, atenção, prepare-se para uma vida de ostentação, drogas, maracutaias e muitas horas de filme!

Amor por Contrato

É marketing de influência que você quer @? Então toma! 

Demi Moore integra o elenco desse filme que, basicamente, gira em torno da descoberta de que os vizinhos trabalham instigando as pessoas próximas a eles a comprarem determinados produtos e serviços.

Quem trabalha nas mídias sociais, sabe que hoje em dia os influencers precisam notificar quando suas publicações são patrocinadas, certo? Mas, ainda assim, muitas delas não são explícitas, e outras, apelativas demais.

Com esse filme, diversos exemplos como esse aparecem e provocam a reflexão sobre a consciência das pessoas que trabalham nessa modalidade de marketing.

Obrigado Por Fumar

E se você tivesse que defender e promover um produto polêmico? É esse o desafio enfrentado pelo protagonista do filme Obrigado por fumar, Nick Naylor.

Nick é um lobista da indústria do cigarro e trabalha ativamente para tirar a imagem ruim do tabaco. É preciso lembrar que o mercado de fumo é um dos mais ricos e que investem em publicidade.

Dessa forma, a todo momento, o filme apresenta a visão interna das fabricantes e a forma como elas lidam para evitar a imagem negativa e associada com males para a saúde. Até mesmo os garotos propagandas, celebridades de Hollywood, são colocados em xeque.

Jobs

A história de Steve Jobs não poderia ficar de fora dessa lista, né? Não porque ele está diretamente ligado ao mundo digital, mas porque foi um mestre do marketing, e, por diversas vezes, salvou sua empresa por saber como fazer um show de apresentação, estimular a curiosidade, o senso de exclusividade, entre outros.

Ashton Kutcher, ator que representa Steve Jobs, também mostra uma transformação incrível, os dilemas pessoais, as crises de relacionamento e, claro, seus problemas de saúde. É uma jornada incrível de aprendizado e reflexão.

A Rede Social

Esse filme conta a história incrível da criação do Facebook, que, inclusive, teve motivações baseadas nas inseguranças no mundo dos relacionamentos amorosos de Mark Zuckemberg em Harvard. Quem diria, né?

Se você já assistiu a esse filme, vale a pena ver de novo (sem trocadilhos!) para comparar com o império em que ele se transformou.

Para os críticos de cinema, o filme não entregou tudo o que precisava, mas para quem é da área ou curte o universo das redes sociais e a dependência em relação a elas atualmente, é uma ótima pedida.

The Circle

É um filme relativamente recente e tem duas estrelas de Hollywood no elenco: Tom Hanks e Emma Watson. Seu enredo é baseado na história de uma empresa cujo o objetivo é reunir informações e dados pessoais dos indivíduos.

Se no filme “O homem que mudou o jogo” mostramos o uso saudável dos dados e estatísticas para promover ações de sucesso, em The Circle, o excesso é o tom para a reflexão.

Do Que As Mulheres Gostam

Imagina ter o dom de ouvir tudo o que seus clientes gostam e, assim, antecipar todos as suas demandas? É conversão e fidelização na certa!

Nesse filme, o protagonista interpretado por Mel Gibson é um gerente de uma agência de publicidade e recebe esse dom, mas para ouvir o que as mulheres gostam. O mundo da publicidade, as propagandas e ações já foram muito machistas, e, nesse filme, essa reflexão também está incutida nas cenas e diálogos.

Privacidade Hackeada

Você acredita que é livre para tomar suas decisões? Ou será que está sendo manipulado? Será que a tecnologia, através da internet e redes sociais, está sendo usada como arma contra nós mesmos?

“Privacidade Hackeada”, documentário da Netflix, é o filme que você tem que assistir agora! 

O documentário analisa o escândalo da Cambridge Analytica, relacionado ao Brexit e à eleição presidencial dos EUA em 2016. 

Bônus: prefiro séries a filmes, e agora?

É claro que em um mundo dominado pelos serviços de Streamings, não poderíamos deixar de citar algumas séries que estão disponíveis nas principais plataformas, não é mesmo?

Então, se tu já “zerou” os filmes aí de cima, não deixe de assistir essas quatro séries incríveis:

Black Mirror, que são pequenos episódios com uma série de reflexões comportamentais – muitas delas dentro de um contexto tecnológico -, inclusive uma em que a protagonista é aficionada pelas curtidas na rede social e o que elas podem proporcionar em termos de status para ela;
Mad Men é uma série que tem o mercado publicitário como cenário, só que na década de 60. Ou seja, em uma época com menos regulações e até escrúpulos nas propagandas e relações profissionais. Prepare-se para maratonar porque os negócios, as tramas e até o figurino são apaixonantes.
House of Cards conta a história do político Frank Underwood (Kevin Spacey), que é traído pelo presidente que ajudou a eleger. Com a ajuda da esposa, de uma jornalista ambiciosa e de um outro político com problemas com alcoolismo, Underwood inicia um plano para minar adversários políticos e conquistar, em alguns anos, a presidência dos Estados Unidos. Além disso, há lições sobre investir no relacionamento com clientes e sobre como é fundamental estar em todos os lugares (utilizando-se de tecnologias mobile). Em uma palavra: imperdível.
The Crazy Ones o seriado um o divertido e sarcástico cotidiano de uma agência de Chicago (EUA). Claro que há o tempero da ficção: alguns temas e situações da rotina publicitária são distorcidos com o intuito de se criar situações interessantes dentro da dinâmica das histórias. No entanto, assisti-la vale a pena. Além de ser um prato cheio para publicitários que gostam de rir de si mesmos, a série traz aprendizados importantes, ainda que de forma indireta — nela, o pessoal da agência tem que contornar problemas reais com clientes, e às vezes o faz com soluções inusitadas. Há apenas uma temporada e os episódios são curtinhos (com cerca de 20 minutos).
E, se você ainda não estiver convencido a assistir, lembramos que The Crazy Ones foi um dos últimos trabalhos do grande Robin Williams, falecido em 2014.

Sua série ou filme de marketing preferido está na nossa lista?? Nós cometemos a injustiça de tê-lo deixado de fora??? Por que choras amante da sétima arte??? Hahahaah Deixa aí pra gente nos comentários, combinado?!

Na real?! Esses filmes de marketing merecem ser vistos e revistos com uma visão mais profissional, focando no que eles têm a ensinar.

E aí, tem alguns amigos que seriam ótimas companhias para uma sessão de cinema em casa? Tá esperando o que pra compartilhar agora mesmo essa lista nas suas redes??? Marque todos eles e meninas levam salgado meninos levam refrigerante!

Preencha aqui embaixo seus dados que a gente te avisa de próximos posts 😉


Marina Matos
Marina Matos
Mineira, 24 anos, copywriting criadora de conteúdo. Formada na área de TI mas se encontrando cada dia mais no marketing e na escrita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *